A cidade de São Félix do Xingu, recebeu a presença do Arqueólogo Getúlio Alípio da empresa Zanettini Arqueologia, conceituada no Brasil com serviços realizados em alguns estados da federação ao qual tem resultado na descoberta de sítios arqueológicos, centros históricos além de manifestações e saberes de comunidades tradicionais.

Professores que lecionam no ensino fundamental pela rede pública de ensino municipal de São Félix do Xingu, tiveram a oportunidade de participarem de um curso seguido de exposição sobre Arqueologia, Patrimônio Cultura e de Conceito da Educação Patrimonial.

Também participaram das atividades professores das Etnias Indígenas, Coordenadores de Polos, Coordenação e Supervisão Escolar ligados diretamente à Secretaria Executiva Municipal de Educação (SEMED).

Também participaram das atividades professores das Etnias Indígenas, Coordenadores de Polos, Coordenação e Supervisão Escolar ligados diretamente à Secretaria Executiva Municipal de Educação (SEMED).

Também participaram das atividades professores das Etnias Indígenas, Coordenadores de Polos, Coordenação e Supervisão Escolar ligados diretamente à Secretaria Executiva Municipal de Educação (SEMED).

O arqueólogo Getúlio Alípio da empresa Zanettini Arqueologia, especializada em gestão de recursos arqueológicos, históricos e culturais, explica que está sendo realizando um trabalho de educação patrimonial ao qual envolve atividades de escavação visando o resgate do patrimônio arqueológica, o trabalho servirá de embasamento para o licenciamento de operacionalidade e nesse momento de prospecção a um empreendimento minerário em uma região dentro do município de São Félix do Xingu.  

 “Então o dia de hoje é trazer um pouco das informações do material arqueológico que foi encontrado e de como esse material que pertence a um passado distante pode estar inserido na dinâmica cultural do município atualmente”, disse Getúlio Alípio.

Natanael França, secretário adjunto de Educação, fala da importância dessa formação continuada para os professores e a equipe pedagógica. França afirma que esse momento de estudo e pesquisa na qual já foi identificado vários sítios arqueológicos no município ao qual deixará um recurso social e cultural a tempo de identificar a riqueza natural de São Félix do Xingu. 

 “E a empresa entende que através dessa pesquisa que possa deixar um recurso social para a comunidade de São Félix. E nós estamos felizes por este momento, estarmos aqui, nesse momento deste programa patrimônio cultural, onde nós estamos aprendendo, estamos conseguindo identificar a beleza natural do nosso município e que possamos socializar e compartilhar isso com os nossos alunos da rede municipal”.

As professoras Telma Guido e Nádia Ribeiro também explicaram da importância sobre o conhecimento da pesquisa sobre a arqueologia. E sabemos o desafio que é ensino em São Félix do Xingu, e nós não poderíamos deixar de promover esse momento de acolhimento aos professores, visto que eles estão a dois anos fora do ensino presencial, e esse momento só vem engrandecer essa retomada do ensino em São Félix do Xingu. Quero agradecer ao professor Clebson e o Getúlio pela a oportunidade de estar dividindo o seu conhecimento conosco aqui neste momento.

 Agradecer, o apoio total do nosso prefeito João Cleber e de nosso Secretário Clebson, e o secretário adjunto Natanael, que sempre lutam para fazer uma educação diferenciada em nosso município, muito obrigada.

 

#JoãoCleberTrabalhador
#BatistaAbreuTrabalhador
#OTrabalhoVoltou
#QuemAmaCuida
#OtrabalhoNaoPara
#CompromissoComoTrabalho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.