O Agrotag é um instrumento de referência que, entre outras informações, reúne dados sobre a produção das propriedades e terá acesso expandido.

O Agrotag é um instrumento de referência que, entre outras informações, reúne dados sobre a produção das propriedades e terá acesso expandido.

Foi lançado nesta terça-feira (26) em São Félix do Xingu, no sul paraense, o AgroTag, um sistema para diagnóstico e monitoramento de unidades produtivas rurais visando à coleta de informações das áreas dentro da atuação integrada do Programa Territórios Sustentáveis, do governo estadual. A ferramenta foi especialmente customizada para o programa, como resultado da parceria entre o Governo do Pará e a Embrapa.

O ato de lançamento do sistema AgroTag ocorreu na chácara Vale da Bênção, distante 27 km da sede do município, reunindo representantes e equipes técnicas da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e Pesca (Sedap), Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), Agência de Defesa Agropecuária do Estado (Adepará), Instituto de Desenvolvimento Florestal (Ideflor), e da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater-PA).

O Agrotag é um instrumento de referência que, entre outras informações, reúne dados sobre a produção das propriedades e terá acesso expandido.

 

“Nossos técnicos de ATER são o braço forte nesse processo de construção do ‘Territórios Sustentáveis’, por isso nossa equipe vem participando com a capacitação e testes para correções do aplicativo, tudo o que puder subsidiar as ações do programa, e para que seja consolidada essa iniciativa do governo estadual de recuperação das áreas degradadas”, afirmou Lana Reis, presidente da Emater.

O Agrotag é um instrumento de referência que, entre outras informações, reúne dados sobre a produção das propriedades e terá acesso expandido.

Com atividade principal de lavoura cacaueira, a chácara Vale da Bênção é propriedade do agricultor Elias de Almeida Filho, um dos beneficiários do programa no município. Desde os anos 1980, a família de seu Elias está no local. Antes, a atividade econômica familiar era pecuária com aptidão de corte. Desde 1990, a família conta com a orientação da Emater, tendo, obtido recurso do Programa Nacional de Fortalecimento a Agricultura Familiar (Pronaf) e mais recentemente, em julho deste ano, o Cadastro Ambiental Rural (CAR), documento de segurança jurídica da terra.

“O apoio da Emater é fundamental para nós, para nossa região. Com a assistência da equipe técnica, já elevamos a produtividade da cadeia produtiva do cacau em cerca de 80%”, disse o produtor familiar.

O intuito de seu Elias, futuramente, é agregar novas atividades como a produção de açaí, pecuária leiteira e piscicultura, além do incremento na produção de cacau que é plantada em uma área de três alqueires.
De acordo com a responsável pelo TS na região, Elizamar Pupio, atuam no programa 21 técnicos de ATER dos escritórios locais de Água Azul do Norte, Ourilândia do Norte, Tucumã e São Félix do Xingu, desde 2020, executando ações de adequação das propriedades para a Regularização ambiental, Elaboração e implantação Plano de recuperação de áreas degradadas (Prada), assessoria à agroindústrias, orientação técnica ao manejo e implementação dos sistemas produtivos e gestão das propriedades com foco em tecnologias Sustentáveis.

O Agrotag é um instrumento de referência que, entre outras informações, reúne dados sobre a produção das propriedades e terá acesso expandido.

“Temos cadastrados 878 produtores como beneficiários do programa. Nessa etapa, 450 famílias de São Félix do Xingu já estão na fase de planejamento sustentável da propriedade e de implantação de sistemas produtivos, que incluem os sistemas agroflorestais, recuperação de pastagem degradada, capineiras, pastejo rotacionado melhoramento genético animal e culturas anuais. Até o final do ano há uma meta de orientação para a implantação de 450 saf’s em áreas de passivo ambiental com foco na produção de cacau e sistema silvipastoril” , explicou a técnica da Emater.

A cultura do cacau, além de recuperação de passivo, agrega um retorno econômico ao produtor do campo. Ainda fazem parte das atividades da assistência técnica o acesso ao crédito rural e a orientação para verticalização da produção, para a comercialização de queijos e polpas de frutas diversas.

“O Agrotag é um instrumento de informação, acesso a dados, monitoramento das propriedades e da produção, e a nossa ideia é expandir o acesso à essa ferramenta”, disse Raul Protazio, da Semas.
Além do lançamento do AgroTag, está sendo ministrada a segunda fase de capacitação, na modalidade presencial, para operacionalização da ferramenta, com a participação de 42 técnicos e extensionistas das secretarias e instituições parceiras da região.

O Agrotag é um instrumento de referência que, entre outras informações, reúne dados sobre a produção das propriedades e terá acesso expandido.

Segundo a responsável pelo Sistema, Luciana Spinelli, da Embrapa, após período de ajuste e capacitação, o AgroTag já estará disponível em novembro. “O AgroTag já existe desde 2016, agora foi customizado para atender a demanda do Governo do Estado para atender o Territórios Sustentáveis, contribuindo para a coleta e acompanhamento dessas informações em uma plataforma única”, informou Luciana.

Texto de Paula Portilho (Ascom / Emater). Por Governo do Pará (SECOM)/ Colaboração Prefeitura de São Félix do Xingu.

 

 

Prefeitura Municipal de São Félix do Xingu.

Compromisso com o trabalho!

#JoãoCleberTrabalhador
#BatistaAbreuTrabalhador
#OTrabalhoVoltou
#QuemAmaCuida
#OtrabalhoNaoPara
#CompromissoComoTrabalho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.