A cidade de Palmas capital do Estado do Tocantins recebeu na semana passada Marlos Peterle Secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de São Félix do Xingu que esteve acompanhado de Cidy Carlos, vice presidente do Sindicato dos Produtores Rurais, também acompanharam Fernando Barbosa Chefe do Departamento de Cadastro de Imóveis e Quecio Rodrigues, Chefe de Setor da Regularização Fundiária.

Na capital do Tocantins a equipe do São Félix do Xingu, visitou diversas propriedades rurais conhecendo plantios da Mandioca Cacau. Agricultores são assistidos pelo o Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (RURALTINS) em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA).

Marlos Peterle, secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento da prefeitura de São Félix do Xingu, explica que a visita técnica vai render conhecimentos para que os técnicos da secretaria possam levar para os produtores rurais. Quem cultiva mandioca conhece bem o método tradicional de se iniciar novos plantios usando pedaços do caule da planta, destaca Marlos Peterle.

“Tivemos uma experiência muito boa, vamos bem recebidos pelo Diretor de Assistência Técnica do Ruraltins, Engenheiro Agrônomo e Extensionista Rural Saint Hunter Marden que nos apresentou as técnica desenvolvidas em propriedades rurais e isso vem de encontro com a nossa proposta do governo municipal e identificar os experimentos e projetar a ampliação de áreas e aumentar a produção agrícola do município, assim, como, do emprego e renda dos agricultores”, informou Marlos Peterle. 

O Pará fechou o ano de 2021 com 21,06% da produção nacional de mandioca. Em números absolutos, segundo a pesquisa elaborado pelo o Núcleo de Planejamento/ Estatísticas da Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), foram produzidos em solo paraense quase 4 milhões de toneladas de mandioca, com um rendimento médio de 15.193,04 quilos por hectare. Essa produção é superior a do Paraná, que aparece logo atrás do Pará com uma estimativa de produção de 3.334.400 toneladas. Em termos percentuais, segundo a pesquisa, o Paraná fechará o ano com 17,82% da produção nacional.

#JoãoCleberTrabalhador
#BatistaAbreuTrabalhador
#OTrabalhoVoltou
#QuemAmaCuida
#OtrabalhoNaoPara
#CompromissoComoTrabalho

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.